Como identificar presença de ratos e calcular o número de roedores?

RoedoresA presença de ratos dentro de casa é sinal de perigo, pois sabemos da grande variedade de doenças que os roedores urbanos podem transmitir para a população. Para identificar a presença de ratos fique em alerta para alguns sinais que os ratos costumam deixar por onde passam.

Saiba como identificar a presença de ratos em sua casa e como calcular o número de roedores urbanos em um determinado local. O sinal mais comum e fácil de perceber e identificar ratos é a presença de fezes espalhadas por onde eles passaram. Veja na foto ao lado as fezes de ratos.

Além disso, os ratos costumam usar os mesmos caminhos repetidamente, facilitando a visualização dos sinais e da sua presença, bem como a ocorrência de tocas próximo a paredes, cercas ou arbustos. Em locais com poeira ou terra é possível ver rastros de pegadas ou da cauda dos ratos. Dependendo do tipo de superfície, manchas de urina podem ser visualizadas, para quem tem treinamento.

Outra forma comum de identificar a presença de ratos

  • Marcas de gordura pelos caminhos frequentemente percorridos pelos ratos;
  • Os roedores também deixam marcas nos locais e objetos que roem, incluindo paredes e portas, mantendo, desse modo, seus dentes incisivos emparelhados;
  • Barulhos no forro do telhado, em especial durante à noite;
  • Embalagens de alimentos, sacos de lixo e caixa de papelão roídas;
  • Os ratos têm um odor muito característico, portanto, ao perceber um cheiro que não seja normal, esteja mais atento;
  • Aparecimento de pêlos, caso não possua animais de estimação no ambiente é um outro indício;
  • A presença de ratos durante o dia é um alerta para a infestação desses animais, pois os roedores têm hábitos preferencialmente noturnos.

Como calcular o número de roedores?

Para calcular o número de ratos em um determinado imóvel é praticamente impossível de se calcular o número exato, o que podemos é identificar através das fezes se a infestação de ratos é baixa, média ou alta.

O cálculo do número de roedores urbanos (ratos) podemos resumir da seguinte forma em um período de 24 horas em um único ponto (local):

  1. Baixa presença de ratos: até 15 fezes;
  2. Média infestação de ratos: de 16 à 30 fezes;
  3. Alta presença de ratos: acima de 31 fezes.

Como evitar ratos: a regra dos 5 A’s

  1. Alimento: Ratos se alimentam de restos orgânicos produzidos pelas pessoas e por ração de pets expostas. Portanto, armazenar o lixo corretamente e retirar os potes de comidas dos cães e gatos evita a presença de roedores.
  1. Água: Todo ser vivo precisa de água para sobreviver. Os ratos utilizam qualquer fonte de água disponível. Suspender os potes de água e colocá-los sobre um apoio que não permita a entrada de roedores.
  1. Acesso: Evitar o acesso de ratos através de bueiros e ratos tampados é a principal estratégia para impedir sua entrada em edifícios.
  1. Abrigo: Ratos circulam pelo sistema de esgoto, mas fazem seus abrigos e tocas na terra, embaixo de entulho e de lixo. Manter os terrenos limpos dificulta a permanência desses animais.
  1. Acasalamento: É o mais difícil de ser controlado pelas pessoas. Porém, reduzindo os demais “A’s”, diminui a disponibilidade de recursos e dificulta o crescimento da população de ratos.

Por que aceitamos a morte dolorosa dos ratos?

Os ratos urbanos são conhecidos por sua capacidade de transmitir diversas doenças às pessoas, foram classificadas como vilãs históricas na disseminação de grandes epidemias como a peste negra: causada pela bactéria Yersinia pestis que é transmitida pelas pulgas dos ratos, ela matou milhões de pessoas em três pandemias diferentes entre os séculos 6 e 20, sendo ainda (surpreendentemente) endêmica em áreas do Nordeste brasileiro.

Além disso os ratos têm sido identificados historicamente como os principais reservatórios da leptospirose urbana, motivo de a desratização fazer parte das ações rotineiras das Unidades de Vigilância em Zoonoses.

Todos os animais vertebrados são cientificamente reconhecidos como seres sencientes, incluindo os cães, gatos, cavalos e roedores. Apesar disso, por falta de empatia com a espécie e por ela estar associada a doenças, os ratos são tratados como pragas e eliminados de maneira não humanitária.

Porém, diversas pessoas criam roedores como animais de estimação, reconhecem seu sofrimento frente às doenças, mas eliminam roedores sinantrópicos por meio de envenenamento.

A interessante experiência do Templo dos Ratos Sagrados, na Índia

O templo é conhecido por abrigar aproximadamente 20.000 ratos pretos, considerados sagrados, pois os devotos de Karni Mata acreditam que os ratos são reencarnações de seus ancestrais. Existe há seiscentos anos e fica na cidade de Deshnoke, no Rajastão.

Beber da água dos ratos e comer suas sobras de alimentos é considerado sinal de boa sorte para aqueles que visitam o templo. Se um dos ratos é morto acidentalmente, ele deve ser substituído por uma escultura de rato em prata ou ouro.

Alguns fatores, como excesso de alimentação doce, brigas entre os ratos e a grande quantidade deles os torna propensos a contrair doenças, especialmente diabetes e problemas de estômago. Os ratos nunca foram pesquisados com relação a doenças; apesar disso, porém, não há relatos de pessoas adoecendo devido ao contato com os roedores.

Compartilhe!

Desenvolvido por: