Quer contratar a Ribeira Dedetizadora e Desentupidora?Solicite um orçamento!

FAQ Ratos: Questões Frequentes Sobre Roedores

FAQ Ratos – Respostas às questões e perguntas mais frequentes relacionadas as três principais espécies de roedores, raticidas para combatê-los e métodos de prevenção.

Pela existência direta de relação entre sujeira e lixo orgânico com invasões do meio urbano por roedores, apresenta-se a primeira questão: Qual a diferença entre limpeza, asseio e higiene?

Limpeza é o ato de limpar, e isso se faz por arraste mecânico ou transferência de sujidades para locais adequados. Os produtos químicos (detergentes, sabões, bem como os saneantes domissanitários, entre outros meios de limpeza.) São coadjuvantes. Além do mais, destaque-se que asseio é manutenção, como também a frequência com que se limpa um determinado local; ao passo que higiene é o ato de limpar esses locais nas frequências requeridas.

Confira abaixo mais informações Questões Frequentes (FAQ) sobre Ratos:

Perguntas sobre ratos;

Dúvidas sobre ratos;

Reclamações sobre ratos.

Quando são quebradas as normas de asseio e higiene há evidente aumento de roedores ao redor das estruturas peridomicilia­res e isso nos condiciona a perguntar: Quais os roedores que são prejudiciais?

Três são as espécies de roedores, incluídos entre os animais sinan­trópicos (São aqueles animais que se adaptaram à convivência com os seres humanos, vivendo ao nosso lado a despeito de nossa vontade, com capacidade de transmitir doenças e causar agravos à saúde do homem ou de outros animais domésticos). Os animais sinantrópicos, como todo ser vivo, necessitam de três fatores para sua sobrevivência: água, alimento e abrigo A água não é fator limitante no nosso meio, mas podemos interferir nos outros dois fatores – alimento e abrigo – de modo que espécies indesejáveis não se instalem ao nosso redor. Esses três roedores são: Rattus norvegicus – Ratazana; Rattus rattus – Rato de forro e; Mus musculus – Camundongo.

Quais os melhores raticidas?

Matar ratos é uma questão de marketing. Quem é o consumidor final? O rato que será envenenado ou o homem que compra o raticida? Comprar o raticida mais barato nem sempre nos encaminhará para uma ação mais eficiente. Na atualidade, todos os raticidas registrados no Brasil, são compostos à base de anticoagulantes, mais atrativos para os roedores, de modo geral. E esta é uma conclusão sábia, pois é necessário, visando à obtenção de melhores resultados, dar aos roedores os produtos que lhes sejam mais atrativos e palatáveis!

Os raticidas apresentados em blocos parafinados são eficientes? 

Muitas formulações de raticidas blocos parafinados empregados tanto na desratização profissional quanto na doméstica são poucos eficientes! Pois os dentes incisivos centrais dos roedores não tem a camada protetora de esmalte, portanto são sensitivos. Se houver a cobertura e a “blindagem” desses dentes com matéria graxa, eles perderiam a sensibi­lidade e o rato cessaria o ato de roer, deixando de ingerir o veneno.

Qual a importância das tubulações de esgoto no controle das invasões de roedores?

Nas tubulações de esgoto encontram-se duas situações fundamen­tais para a manutenção de um ambiente ideal para a proliferação dos roedores e outros animais sinantrópicos: disponibilidade de alimentos e os desejados esconderijos, protegendo-os de seus predadores naturais. Os roedores se alimentam de baratas (ressalte-se que o esgoto é um ambiente ideal para implantação de ninhos das baratas), como também é conveniente rememorar que os camundongos são predados pelas rata­zanas. Nestas condições é recomendável o uso de produtos que limpam as tubulações de esgoto por eliminação do nitrogênio (Condição que prejudica a proliferação das baratas), associado ao uso frequente de inse­ticidas de grande poder residual.

Onde vivem os roedores?

Por se tratar de animal comensal dos seres humanos, pode-se afir­mar: aonde o homem vai, o rato também vai. Neste momento é oportuno rememorar a trajetória dos ofídios se aproximando dos seres humanos: nas chácaras, sítios e fazendas, os paióis; ao armazenar inadequadamente os cereais, os roedores são atra­ídos e como eles constituem o alimento preferido das cobras, aumenta a população de ofídios, peçonhentos ou não.

Os roedores enxergam bem?

Oh! Não! Os ratos são monocromáticos, eles não conseguem dife­renciar as cores. Mas a visão é adequadamente substituída por outros sentidos: além do tato, exercido por terminações sensitivas [por isso eles tem longos e móveis bigodes e vibrissas sensitivas (pelos) espalhadas pelos corpos], o olfato, que é muito desenvolvido, permite a compensação das deficiências da visão. Assim, os roedores conseguem detectar os alimentos e seus predadores permitindo-lhes uma razoável sobrevivência. Além do mais, possuem excelente audição e bem desenvolvido sentido do gosto.

Por que o lixo é importante? 

A existência de lixo com resíduos orgânicos oferece duas condições essenciais para a manutenção e proliferação dos animais considerados sinantrópicos, pois o lixo serve de alimento e esconderijo, tanto para roedores, como para as baratas.

Em um terreno baldio, como se faz este controle? 

Nestas circunstâncias o controle é feito com o uso de raticidas, sempre utilizando o produto adequadamente embalado em sachês fecha­dos, cada um deste contendo ao redor de 20 gramas ou em “pellets”. Essas formas de apresentação dos raticidas devem ser espalhadas sobre o terreno baldio. As tocas dos roedores devem ser tratadas a cada 60 dias com raticida em pó até o controle dos roedores, evidenciado pelo desaparecimento dos infestantes.

Quantos ratos existem por habitante? Como se faz essa avaliação?

É impossível fazer uma estimativa precisa da população de roedo­res num local ou região, sendo mais difícil fazer a contagem de roedo­res. Todavia, cabe ainda destacar um aforismo de uso frequente entre os especialistas: rato se mata, não se conta! Nós devemos eliminar o problema e não, estatisticamente, dimensioná-lo!

Qual a importância do uso de produtos de limpeza, no controle da proliferação de roedores?

A limpeza e higiene ambiental são fundamentais no controle das infestações ambientais por animais sinantrópicos, mas deve haver compatibilidade química entre os produtos de limpeza utilizados e os inseticidas e raticidas aplicados complementarmente.

Qual a metragem quadrada a ser tratada com os raticidas? 

Além da aplicação do produto raticida na área interna das edifi­cações, procurando os possíveis esconderijos dos ratos é fundamental fazer um anel sanitário num raio de 50 metros ao redor dos limites da construção.

Qual a força de mordedura de um rato? 

A mordedura de um rato é enérgica e grave quando atingir um animal! Em média, um rato de 250 gramas de peso corpóreo tem uma força de mordedura equivalente a 40.000 libras/pol.², por essa razão chegam a roer chapas de aço/carbono 1020. Ressalte-se pelo hábito de roer fios elétricos, os roedores são causadores de inúmeros incêndios em edificações residências e industriais.

Os ratos comem ou roem os revestimentos dos fios? 

Sim! Pois o revestimento dos cabos condutores de eletricidade é termoplástico, matéria palatável aos roedores. Expondo esses fios elétricos, um curto-circuito estabelece-se, possibilitando a ocorrência de chamas, iniciando incêndios. Qual a responsabilidade dos roedores na destruição de instalações elétricas? Em torno de 60% dos curtos-circuitos e incêndios são causados pela maléfica atuação dos roedores. 

Quais outros estragos ou prejuízos causados pelos roedores? 

Além da ocorrência de curtos-circuitos e incêndios, as estatísticas do agronegócio e de economia rural estabeleceram que, aproximadamente, 30,0% dos cereais produzidos em nosso planeta, são comidos, destruídos ou contaminados por fezes e urina dos roedores.

O que é um raticida anticoagulante e qual sua ação?

Anticoagulantes são as substâncias que dificultam ou impedem a coagulação sanguínea. Esses rodenticidas são inodoros e insípidos, faci­litando a ingestão do produto e são considerados anticoagulantes de ação indireta pois reduzem a síntese hepática dos fatores II, VII, IX e X da coagulação, antagonizando a ação da vitamina K. Não possuem efeito anticoagulante “in vitro”. O primeiro anticoagulante de uso oral descrito foi a cumarina (bis-hidroxicumarina) e o segundo foi o Warfarin sódico [3-(alfa-acetonil-benzil) 4 hidroxi-cumarina]. A dose mortal para roedores é de 1mg/kg de peso vivo, durante cinco dias. (Alguns produtos adicionam sulfonamida ao anticoagulante, visando inibir a síntese bacte­riana de vitamina K no intestino dos roedores).

Em caso de intoxicação humana o que fazer?

Encaminhar a pessoa intoxicada a um centro especializado de aten­dimento médico, acompanhado da Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico – FISPQ – que contém informações diversas sobre o produto químico, quanto à proteção, à segurança, à saúde e ao meio ambiente. Ela deve estar incluída na embalagem dos rodenticidas.

Os ratos, depois de mortos, cheiram mal?

Sim! É por isso que se joga cal virgem sobre as carcaças dos roedores mortos.

Em peso, quanto os roedores se alimentam por dia? 

Em média, os roedores comem diariamente um décimo de seu peso corpóreo.

É permitida a reprodução parcial ou total deste conteúdo em outros sites e/ou blogs desde que mencionada a fonte – Fonte: Ribeira Dedetizadora – http://www.ddribeira.com.br/

Compartilhe!

Web Design: