Quer contratar a Ribeira Dedetizadora e Desentupidora?Solicite um orçamento!

O que acontece se você não tratar bicho de pé?

O que é bicho de pé? Saiba o que acontece se você não tratar. Bicho de pé é um animal de apenas um milímetro de comprimento que costuma viver em zonas rurais, como fazendas e matas, e que já recebeu vários nomes nesse nosso Brasil afora: dengoso, batata baroa, bicho de porco, pulga de areia, chique, zunga, itacaia, piolho de faraó e por aí vai.

Diante de tantas nominações, você já deve saber que bicho é esse. E pior: é provável que você já tenha sentido a coceirinha horrível que o bicho de pé causa na pele – principalmente nos dedos dos pés. Se você já andou descalço por uma fazenda, andou no mato, entrou no rio para pescar piaba ou entrou em um galinheiro, já era: bicho de pé com certeza.

A fêmea parasita provoca uma infecção chamada tungíase que deixa a região contaminada inchada e dolorida. Para tratá-la, sempre foi comum as pessoas usarem um pedaço de algodão com mertiolate e agulha. Só assim mesmo para arrancar o bicho de pé da pele. Dá agonia só de pensar nesse tratamento, não é mesmo?

Se você foi uma criança aventureira da década de 70, 80 ou 90, vai se lembrar bem do mertiolate (que nessa época, ardia – e não era pouco). Agora você já parou para pensar o que acontece se você simplesmente não tratar o bicho de pé? Pois é. Se você também está com essa dúvida, fique com a gente neste artigo e confira a resposta para ela!

O que pode acontecer se você deixar de tratar o bicho de pé?

O bicho de pé é um animal que se parece bastante com uma pulga já causou muitos problemas por aí – principalmente nas criancinhas. E é tudo culpa das fêmeas, que ao serem fecundadas, procuram nutrientes em nosso sangue para que seus ovos se desenvolvam.

E quais são os alvos prediletos do bicho de pé? Os nossos pés: principalmente a sola, a pele entre as unhas e o espaço entre um dedo e outro. Mas esse bicho desagradável pode perfurar qualquer outra parte do nosso corpo (mesmo que seja menos comum). Ao se alojar no corpo do hospedeiro, o bicho de pé começa a se alimentar do sangue – motivo pelo qual nós sentimos aquela coceira desagradável na região inflamada.

Enquanto os ovos estão se desenvolvendo, a fêmea começa a crescer e pode alcançar o tamanho semelhante a um grão de ervilha, provocando muito incômodo no hospedeiro nessa fase.

Quando os ovos estão prontos para serem expelidos, a fêmea do bicho de pé os deposita no interior da nossa pele. E pasme: a quantidade chega a 200 ovos. Depois disso, ela morre. O nosso organismo naturalmente expele o bicho morto para fora. Mas, o ideal é que o bicho seja removido antes.

O melhor jeito de tirar o bicho de pé é removendo o bicho com uma agulha esterilizada. Mas lembre-se: não pode deixar nenhum pedacinho para trás, já que isso pode causar infecções. Depois da coceira e da inflamação no local, o problema quase nunca passa disso. E quanto mais cedo você extrair o bicho de pé, melhor.

O bicho de pé pode causar outras infecções

Mas a infecção causada pelo bicho de pé pode abrir espaço para o surgimento de outras doenças mais sérias, caso não seja tratada adequadamente. Essa pequena ferida na pele pode piorar e causar algumas complicações, como deformações nas unhas, feridas, morte das células na região afetada, tétano e gangrena. Parece exagero, não é mesmo? Mas acredite, não é.

Em alguns casos de infecções agudas, chega a ser necessário realizar a remoção partes da pele ou até mesmo dos dedos, em casos mais graves. E além do risco de amputar, também existe ainda o risco de gerar um ferimento causada pelo bicho de pé permitir a proliferação de outras criaturas, como bactérias por exemplo.

Em situações como esta, uma infecção mais grave pode acabar formando no local e tornar o tratamento ainda mais complicado.  Segundo uma pesquisa da OMS, em comunidades carentes de recursos em áreas rurais e urbanas que não possuem saneamento básico, cerca de 60% das crianças são infectadas com o bicho de pé.

04 formas eficientes para tratamento do bicho de pé

Veja abaixo 04 métodos caseiros eficazes para tratamento do bicho de pé, são formas se tratar que utiliza-se chá de calêndula, própolis, canfora, salonpas e gelol. Todos esses procedimentos são bem simples de colocar em prática, escolha qual o melhor de acordo com a sua necessidade e se livre agora mesmo do bicho de pé.

  1. Receita com chá de calêndula

Ingredientes:

04 colheres de sopa de flores de calêndula sem umidade (secas);

400 à 600 ml e água fervida;

50 à 60 ml de vinagre branco.

Preparo:

Ponha as flores de calêndula em um recipiente e coloque a água fervente. Vede e deixe baixar a temperatura, após, coloque em uma vasilha grande e acrescente o vinagre branco, para subir o nível da acidez e combater o bicho de pé. Use esse método de duas à quatro vezes ao dia, importante deixar os pés totalmente imersos na solução preparada de 25 à 35 minutos.

  1. Remédio com própolis

A própolis tem uma ação antimiotica e muito eficiente para cicatrizar ferimentos, aplique diretamente no local da pele infectada de 03 à 05 vezes ao dia, esse procedimento vai fazer com que o bicho de pé tenha morte instantânea. Embora muitos médicos indique a retirada do inseto da pele com um procedimento mais invasivo, como é o caso, cortar a pele para remover o bicho de pé, essa dica vale para aquelas pessoas que tem pavor de agulhas.

  1. Solução com canfora

Existem no mercado brasileiro diversos tipos de pomada que tem como princípio ativo a canfora, essa forma de se combater o bicho de pé é bem simples. Aplique a pomada à base de canfora diretamente no local, proteger com um curativo é fundamental, isso porque a canfora possui um cheiro forte fazendo com que o bicho de pé se sinta incomodado com o odor e procure uma rota de fuga que normalmente é a saída da pele.

  1. Salonpas e gelol

Salonpas e gelol, como assim? Sim meus amigos, esses dois produtos básicos que usamos para dores musculares encontrados em qualquer farmácia são os campeões para expelir o bicho de pé da região infectada. A forma de aplicação é bem simples, similar ao método usado com canfora. Aplique o gelol e em seguida coloque o salonpas no local afetado, de preferência no período da noite, o inseto vai se sentir incomodado por causa do cheiro forte liberado por esses produtos, no dia seguinte retire para que o bicho de pé saia do local. Repita esse procedimento até ter certeza que o animal saiu da pele.

Onde se pega bicho de pé e como prevenir?

O bicho de pé se pega na areia, sendo assim, uma dica para prevenir bicho de pé e para ficar longe desse bicho inconveniente, o ideal é usar calçados em locais infestados e com areia – principalmente por onde passam muitos animais domésticos como cães e gatos. Infelizmente desconhecemos qualquer produto ou antibiótico capaz de repelir o bicho de pé.

Além disso, também é importante levar seus animais ao médico veterinário, de modo a avaliar se eles estão infectados com a pulga do bicho de pé. Se sim, é importantíssimo iniciar o tratamento adequado o quanto antes para evitar que a doença passe para as pessoas.

E se você resolver passear no mato ou na praia nas próximas férias, use chinelos ou sandálias ao caminhar no litoral – e evite brincadeiras como enterrar os pés na areia, por exemplo. Sabemos que isso é chato, mas é o melhor jeito de evitar ficar com o bicho de pé. E pense bem: você não vai querer passar o resto das férias sentindo dor e coceira nos pés, não é mesmo?

E agora que você já sabe tudo sobre o bicho de pé e as suas possíveis complicações caso a doença não seja tratada o quanto antes, fique atento: se surgir uma coceirinha com um bichinho na pele, remova-o (de modo esterilizado, é claro!).

É permitida a reprodução parcial ou total deste conteúdo em outros sites e/ou blogs desde que mencionada a fonte – Fonte: Ribeira Dedetizadora – http://www.ddribeira.com.br/

Compartilhe!

Web Design: