Quais doenças os morcegos transmitem?

Morcego é o segundo maior transmissor da raivaAs principais doenças que os morcegos transmitem são: a raiva e a histoplasmose, esta última é uma infecção que ataca o pulmão. Entretanto, cabe lembrar que um morcego que adquire a doença também adoece e morre, não sendo um transmissor passivo da doença, ou seja, o morcego é apenas um hospedeiro do vírus causador de várias enfermidades.

Vejo em diversos sites de empresa dedetizadora oferecendo tratamento químico para matar morcegos, isso é pura balela, a matança de morcegos é proibida e até o presente momento desconheço qualquer produto registrado e legalizado específico para afastar morcegos.

Morcegos insetívoros, sobretudo membros da Família Molissidae, são os morcegos que apresentam maior frequência em diagnósticos positivos para as doenças raiva e a histoplasmose e os que estão mais intimamente associados ao homem, pelo hábito de dos morcegos abrigarem nas edificações.

O maior problema com a presença dos morcegos em áreas urbanas é a transmissão da patologia raiva. Ao contrário do que se acreditava antigamente, todos os morcegos, não só os hematófagos, isso inclui os frutíferos e nectarívoros também são capazes de contrair, transmitir e morrer pelo vírus da raiva, assim como outros mamíferos. Diz nossos especialistas em dedetização.

Morcego é o segundo maior transmissor da raiva

A raiva é uma doença letal que acomete frequentemente os carnívoros silvestres e domésticos (cães e gatos), embora qualquer mamífero, incluindo os morcegos, é capaz de adquirir e transmitir a doença.

Depois do cachorro, o morcego é considerado o segundo maior transmissor da raiva. Devido ao seu hábito alimentar, o contato diário com suas vítimas e a introdução da saliva nos ferimentos causados, o morcego hematófago é considerado o mais eficiente transmissor da doença para animais de estimação é relativamente rara e ocorre, geralmente, de forma acidental.

Por isso, a vacinação anual contra a raiva em cães e gatos, e em rebanhos na zona rural, deve ser considerada de suma importância para o controle desta doença. Outro fator importante é informar à população que nunca se deve manipular morcegos, exceto pessoal especializado, e, em caso de acidente ou contato direto, a pessoa deve procurar orientação médica com urgência.

Outra doença causada por morcegos é a histoplasmose

Uma doença preocupante que relacionada aos morcegos é a histoplasmose, infecção que é causada por um fungo de solo, denominado Histoplasma capsulatum. Este fungo pode desenvolver sobre o acúmulo de fezes de morcegos e aves. Essa doença causada pelos morcegos causa uma infecção pulmonar, afetando por completo o pulmão, cuja gravidade está relacionada à quantidade de esporos inalados e ao estado imunológico do hospedeiro. A histoplasmose pode ser confundida com a gripe, pelos sintomas causados como dor no corpo, febre, etc.

Portanto, após a vedação do abrigo anteriormente ocupado por morcegos é importante realizar a remoção das fezes, que se acumularam no forro sob seus pousos diurnos, como dito anteriormente essa doença é transmitida pelas fezes. Para tanto, as fezes devem ser molhadas com uma mistura de água e água sanitária (1:1) antes de sua remoção, reduzindo a quantidade de esporos no ar.

A pessoa que estiver realizando o recolhimento das fezes deve estar protegida por máscara ou, no mínimo, por um tecido ou toalha amarrado sobre a boca e nariz para evitar qualquer risco à saúde.

A melhor forma de evitar doenças causadas pelos morcegos é através do controle

Se você encontrou morcegos morando no forro, em fendas de paredes ou outros locais de sua casa, e precisa desalojá-los, existem procedimentos humanitários e criteriosos para expulsá-los e fazer que não voltem mais.

Confira 05 passos para espantar morcegos:

  1. O primeiro passo é identificar o local por onde os morcegos entram e saem. A melhor hora para procurar os morcegos é ao pôr-do-sol, quando eles saem do seu descanso diurno;
  2. Uma vez localizado o ponto de passagem deles, coloque tela, ou rede plástica, sobre a abertura e vede todos os lados da tela, exceto a parte de baixo, de tal forma que os animais possam sair, mais não voltar;
  3. Deixe a tela com essa abertura pelo menos por uma semana, até que todos os morcegos tenham ido embora;
  4. O último passo é fechar a abertura, para que os morcegos não mais por ela;
  5. A aplicação de naftalina é uma outra excelente dica, devido ao odor forte liberado pelo produto o que faz com que os morcegos evitem se instalar nesses locais. Mais atenção a naftalina funciona apenas em locais fechados, como por exemplo forros e porões.

Conclusão

É preciso salientar que os morcegos não apenas o vilão da história por causa das doenças que transmitem e que em muitos casos levam a óbito, eles também trazem benefícios inegáveis à natureza.

Veja a importância dos morcegos:

  1. Polinizam inúmeras espécies de plantas;
  2. Controlam a população de insetos;
  3. Auxiliam no reflorestamento das matas;
  4. E até mesmo, servem na medicina, como é o caso da saliva anticoagulante dos morcegos, que está sendo estudada para o tratamento de doenças vasculares.

Desse modo, além do trabalho de conscientização acerca dos benefícios que os morcegos trazem, é preciso estudar o manejo adequado, para reduzir a proximidade dos morcegos com a população, diminuindo, consequentemente, o risco de transmissão de zoonoses.

A colaboração interdisciplinar torna-se imprescindível na elaboração de medidas preventivas e educacionais que visam minimizar riscos à saúde de pessoas e animais. É um olhar mais atendo ao planejamento arquitetônico e paisagístico deve ser empregado nas áreas urbanas das grandes metrópoles.

Compartilhe!

Desenvolvido por: