Quer contratar a Ribeira Dedetizadora e Desentupidora?Solicite um orçamento!

Descarte Correto de Óleo de Cozinha Evita Entupimento Ralo

O descarte de forma incorreta do óleo de cozinha é um grande vilão de entupimento de encanamentos de ralo e caixas de gordura. Saiba como descartar o óleo de cozinha de forma correta e mantenha os encanamentos de ralos livres de entupimento.

Todo mundo pode contribuir um pouquinho, fazendo a sua parte ficará bem mais fácil de manter neste planeta de modo harmonioso e sem agressões à natureza.

Não estamos falando de grandes obras que podem causar grandes tragédias.

A alteração de pequenos hábitos podem ser responsáveis por evitar que, pouco a pouco, gota a gota, estejamos deixando marcas de destruição por onde passamos.

A situação da poluição em rios e oceanos é dramática, e não se trata somente da vergonhosa imagem apresentada por uma quantidade imensa de embalagens plásticas que ficam boiando e sendo levadas por correntezas, em alguns lugares chegam a impedir a visão dos mares.

A contaminação por óleos e outros resíduos do tipo também é assustadora e merecem uma análise mais cuidadosa e uma reflexão sobre o que fazemos todos os dias com o que sobra daquelas frituras que realizamos, há estudos que afirmam que 50 mg de óleo é suficiente para contaminar 25.000 litros de água.

É preciso pensar.

O óleo vegetal pode entupir um ralo? 

Bem, a resposta simples para esta pergunta é – SIM. Não acredite no equívoco comumente conhecido de que, como os óleos são líquidos, eles não prejudicam os canos de ralo. Tudo o que é gorduroso ou oleoso é definitivamente ruim para o seu ralo e encanamentos. Derramando qualquer tipo de óleo no seu ralo acabará por resultar em uma tubulação de ralo entupido.

Muitas pessoas acreditam que derramar óleo no ralo é inofensivo porque é um item líquido. No entanto, o problema é que os óleos não se comportam da mesma maneira que os outros líquidos. No entanto, uma vez que esfria, pode agarrar-se aos canos de esgoto. Eventualmente, o revestimento se acumula com o tempo, causando bloqueios severos e consequentemente causando entupimento dos canos dos ralos.

Um ralo entupido não é a única coisa que você deve se preocupar. Se você derramar óleo vegetal regularmente no seu ralo, isso prejudicará o meio ambiente, poluindo-o com o tempo. Uma maneira simples que você pode fazer para proteger o meio ambiente é descartar o óleo de cozinha de maneira consciente.

Descarte de óleo em casa

A intensão de quem cozinha é sempre que tudo esteja o mais gostoso possível.

Porém a satisfação não pode parar por aí.

É tradição em nossa cultura que alguns dos nossos mais saborosos pratos sejam preparados com a utilização de óleo, as frituras. Impossível não apreciá-las.

Porém o problema surge na dúvida sobre o que fazer com o óleo após usado.

Ele tem que ser jogado fora, mas como? É muito tentador, no momento de lavar a louça, olhar para o ralo da pia e pensar que aquele pode ser o destino perfeito para a aquele que contribuiu muito para o gosto dos alimentos, mas que agora se tornou um produto totalmente descartável.

Na dúvida entre fazer a coisa certa e despejar no esgoto o óleo usado, muitas vezes sucumbimos a comodidade.

Porém isso terá um preço alto a ser cobrado.

Descarte de óleo em restaurantes

A utilização de óleo de cozinha por restaurantes é de grande vulto, e tem se tornado um dos desafios para aqueles que estão empenhados em administrar seus negócios com uma certa consciência ecológica.

É função do administrador consciente saber que a limpeza de todo o ambiente de um restaurante não está restrita somente a uma cozinha organizada e talheres limpos, ela via muito além.

A responsabilidade do estabelecimento consciente deve se entender até o correto descarte de sobras e materiais utilizados na preparação dos alimentos.

O maior vilão neste aspecto é aquele que é comumente usado na preparação daquela deliciosa batatinha frita, o óleo de cozinha.

Cuidar da maneira como ele será descartado é imensamente importante para o meio-ambiente, mas também pode ser um agrado para o bolso.

Descarte de óleo de ambulantes

Tudo isso sem contar em matéria de ecologia na atuação desastrosas de alguns proprietários daquelas barracas que vendem nas ruas e feiras o delicioso pastel ou salgados, mas que na hora do descarte acabam por despejar os resíduos, por vezes na própria rede de águas pluviais.

Descarte de óleo inadequado: Entupimentos à vista

Vamos deixar por alguns instantes de lado os imensos problemas que o óleo descartado incorretamente causa à natureza, para atentarmos a uma dor, em um primeiro momento, em um local mais sensível: o bolso.

Como se sabe o óleo não é solúvel em água e seu acúmulo pode causar muitos prejuízos, seja em menor escala quando se trata de prejuízos dentro de sua própria casa, ou, já falando em situações maiores, entupimentos de tubulações públicas.

Prejuízos causados por óleo em casa e restaurantes

Se dia após dia for sendo despejado óleo no esgoto doméstico, não há dúvidas de que ocorrerão prejuízos.

O acúmulo de óleo, que não se dissolve na água, vai fazer com que o esgoto que deveria fluir para a rede pública não consiga chegar a seu destino.

Ai está o entupimento.

Com isso os demais dejetos que deveriam livremente correr para o esgoto não conseguem fazê-lo causando transtornos imensos.

Não se trata somente de transtorno de, ainda que momentaneamente não conseguir se livrar do esgoto, mas também do transtorno financeiro e em casos daquela terrível necessidade de quebrar pisos para resolver o problema.

Da mesma forma em estabelecimentos comerciais quando além de todos os aborrecimentos acima, ainda haverá a impossibilidade de manter os ganhos, sem contar os problemas com os órgãos de vigilância sanitária.

Prejuízos públicos causados pelo óleo

O óleo de cozinha despejado na tubulação de esgoto, caso já não tenha causado estragos dentro da própria casa ou estabelecimento de quem os despeja e antes de contaminar os rios, prejudicando o próprio sistema público de afastamento e tratamento resíduos.

Imagine que um grande número de pessoas incorram no mesmo erro e despejem quantidades, ainda que pequenas, de óleo de cozinha usado, na rede pública de esgoto.

Já não se tratará mais daquele óleo que restou no fundo da frigideira, mas do que restou na frigideira de muitas casas.

E embora as tubulações públicas de esgoto normalmente apresentem dimensões compatíveis, sempre haverá um momento em que esta capacidade será superada.

Observe que a acumulação do óleo cria obstáculos que acabam por impedir o correto fluxo do esgoto, o que faz com que o trajeto até a estação se torne muito mais difícil, e por consequência, mais oneroso, e quem paga? O contribuinte, você.

Não só isso, por estarem em locais inadequados e serem propícios a entupimentos como visto em menores escalas dentro de uma residência, também pode ocorrer a obstrução do fluxo que foi dimensionado para aquela tubulação.

Quando a tubulação pública não consegue mais dar conta da mesma quantidade de dejetos para a qual foi projetada, com certeza ocorrerão entupimentos e em continuando o acúmulo, as terríveis enchentes.

Tudo isto serve para os esgotos como também para as galerias de água pluviais. O raciocínio é o mesmo, pois toda a água capitada poderá ser barrada pelo acúmulo de óleo e impedir que as águas cheguem a rios e mares, novamente levando a enchentes.

Correto descarte do óleo de cozinha

A forma correta de descarte é o armazenamento e a entrega em locais especificados, públicos ou ONGs por exemplo.

Atualmente devido ao uso de maneira reciclável já são encontrados em condomínios locais específicos para entrega e posterior recolhimento por quem se interessa.

Da mesma forma e com o mesmo fim, é possível encontrar veículos anunciado o recolhimento de óleos na porta das casas.

O melhor meio é qualquer um que não seja despejar no esgoto ou nas ruas.

Quando há o correto descarte do óleo ele pode se tornar biodiesel, tintas, entre tantos outros.

Reaproveitando o óleo de cozinha na fabricação do sabão 

Materiais 

  • 1 balde de plástico de 25 litros;
  • 1,5 litro (um litro e meio) de água quente;
  • 6 litros de óleo de cozinha usado;
  • Essência aromática (opcional);
  • Peneira plástica;
  • 1 kg de soda cáustica em escamas; (teor de 99%).
  • Bastão de madeira;
  • Caixas de papelão;
  • Plásticos para forrar as caixas de papelão.

Modo de fazer

Coe o óleo através da peneira e despeje no balde e misture a essência aromática. Acrescente toda a soda cáustica (se tiver restos de sabão ou sabonete pode acrescentar também) e misture com o bastão de madeira.

Acrescente, devagar, a água fervendo e continue misturando por uma hora, até começar a engrossar. Despeje o conteúdo nas caixas de papelão forradas com plásticos, pois isso facilita para desenformar o sabão.

Deixar o sabão endurecer (isso pode durar um dia ou até mais), e quando estiver firme corte em barras. Deixe o sabão descansar por pelo menos três semanas antes de começar a usar, para que as reações químicas do processo terminem e diminua a ação da soda, tornando o sabão próprio para o uso.

Cuidados com a segurança 

A soda cáustica é um reagente nocivo e corrosivo. É preciso usar luvas, avental, sapato fechado e óculos de segurança para proteção do corpo, mãos e olhos, uma vez que o contato do produto com a pele provoca queimaduras graves.

Como as reações químicas envolvidas no processo produzem calor, é preciso tomar cuidado ao misturar e despejar o sabão. Preparar o sabão em local aberto ou ventilado.

Mas, se ainda assim houver entupimento de ralo

Esperamos ter ajudado na questão e temos a consciência de que se os devidos cuidados forem tomados a possibilidade de entupimento por conta de incorreto despejo de óleo serão mitigados.

Porém caso venha a ocorrer, o melhor é se cercar de quem entende do que aconteceu. A procura deve ser por profissionais treinados e que possam realmente solucionar a questão com segurança, sem a utilização do método da tentativa e erro.

A utilização dos corretos equipamentos e técnicas é que propiciarão a satisfação rápida e a contento.

É permitida a reprodução parcial ou total deste conteúdo em outros sites e/ou blogs desde que mencionada a fonte – Fonte: Ribeira Dedetizadora – https://www.ddribeira.com.br/

Compartilhe!

Web Design: