O Controle de Pragas: Parte 1

Dedetizadora e Controle de Pragas
Dedetizadora e Controle de Pragas
Dedetizadora e Controle de Pragas

O Controle de Pragas e insetos conhecido tecnicamente como dedetização de insetos e Pragas urbanas (baratas, ratos, cupins, formigas, aranhas, escorpiões, lacrais, morcegos, pombos, traças, pulgas, carrapatos, carunchos, entre outras pragas urbanas) nas residências, tanto no meio urbano quanto no meio rural, está se tornando cada vez mais difícil.

A falta de planejamento na infraestrutura das cidades, do sistema de esgoto, da coleta de lixo a ser armazenado ou destruído, bem como o crescimento desordenado das cidades e o aumento populacional, todos esses fatores têm contribuído para o desequilíbrio ecológico e aumento desordenado das Pragas.

Só para exemplificar no Brasil existem mais de 2000 tipos de formigas e mais ou menos 26 espécies causam algum tipo de incômodo aos seres humanos. Olhando para esses números, percebemos que é difícil controla-las, e só estamos falando de formigas, que quando presentes em hospitais são responsáveis pela disseminação de bactérias resistentes nos diferentes ambientes.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define a Saúde Ambiental como parte da Saúde Pública, a qual se ocupa nas formas de vida, das substâncias e das condições em torno do homem, podendo exercer influência sobre sua saúde e bem-estar.

O Controle integrado de Pragas nada mais é que o conjunto de ações como Educação em Saúde e Manipulação Ambiental, associadas à utilização de agentes biológicos e químicos empregados por controladoras de pragas urbanas especializadas e legalizadas através dos serviços de desinsetização e descupinização no caso dos cupins e desratização no combate aos ratos.

Educação em Saúde e Manipulação Ambiental compreendem o conhecimento da biologia das Pragas, sua importância, os métodos de Controle envolvidos e utilizados por empresas especializadas em dedetização em São Paulo e outros estados e noções sobre inspeção e tratamento dos locais afetados, bem como a adoção de medidas preventivas.

Somente desta maneira é possível obter um grau de Controle de Pragas satisfatório com relação as Pragas urbanas. É importante lembrar que no Controle de Pragas urbanas e domésticas não existe extermínio, apenas controle como o próprio diz.

Como medidas gerais para o Controle de Pragas devemos considerar: os hábitos, comportamento, condições de água, abrigo e alimento da espécie em questão, bem como os fatos predisponentes da infestação local, aplicando-se as medidas de manipulação ambiental cabíveis e modificações necessárias aos cuidados da limpeza e higiene.

Somente desta forma poderemos contribuir para um ambiente sem Pragas urbanas ou, no mínimo, controlando áreas de possíveis infestações.

 

Pragas urbanas e animais sinantrópicos

Animais Sinantrópicos
Animais Sinantrópicos

Definem-se animais sinantrópicos aqueles que se adaptaram a viver junto ao homem, a despeito da vontade deste. Diferem dos animais domésticos, que o homem cria e dos quais cuida com a finalidade de companhia (cães, gatos, pássaros, etc.), produção de alimentos ou transporte (galinhas, boi, porcos, cavalos, etc.).

Destacamos dentre os animais sinantrópicos, aqueles que podem transmitir doenças ou causar agressão à saúde do homem ou outros animais e que estão presentes na nossa cidade, como: ratos, pombos, morcegos, baratas, moscas, mosquitos, moscas, pulgas, carrapatos, formigas, escorpiões, aranhas, taturanas, lacraias, abelhas, vespas e marimbondos, as chamadas Pragas urbanas.

Continua na parte 2: O CONTROLE DE PRAGAS PARTE 2

O Controle de Pragas: Parte 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo